8 de março – A “gafe intencional” de Temer

Infelizmente, o discurso de Michel Temer neste 08 de março não foi um desastre.

Qualificar o que foi dito dessa forma implica em não intencionalidade, em colocar que tudo não passou de mero acidente.

Porém, um “Presidente” ao fazer um discurso (qualquer um), principalmente em dias emblemáticos, é assessorado pelas mais diversas pessoas e, com certeza, tem o seu discurso debatido para se saber o que deve ficar e o que deve sair.

E aquilo que ficou, tristemente para nós, é exatamente a mensagem que gostariam que fosse passada. Assim, consideremos palavra por palavra do que foi dito.

Em nenhuma passagem do texto consta expressamente a maior luta do movimento feminista: igualdade.

Não é usada essa expressão em nenhuma parte. No único momento em que se usa a palavra “igual” é se referindo ao conteúdo da Constituição. Em todos os outros momentos, preferiu-se utilizar eufemismos e palavras que não possuem a mesma força, chegando ao despudor de falar em “luta permanente da mulher por uma posição ADEQUADA”.

Todo esse discurso coroado pela grande participação das mulheres na sociedade e na economia: formação dos filhos (de forma exclusiva) e saber precisar as flutuações nos preços do supermercado.

Por tudo isso, não foi um desastre, foi um ataque mesmo.

Piores partes:

“… não basta marcar no calendário o Dia da Mulher, é preciso comemorá-lo. E comemorá-lo significa recordar a luta permanente da mulher por uma posição adequada na sociedade.”

“Tenho absoluta convicção, até por formação familiar e por estar ao lado da Marcela [Temer], do quanto a mulher faz pela casa, pelo lar. Do que faz pelos filhos. E, se a sociedade de alguma maneira vai bem e os filhos crescem, é porque tiveram uma adequada formação em suas casas e, SEGURAMENTE, isso quem faz não é o homem, é a mulher”

“Na economia, também, a mulher tem uma grande participação. Ninguém mais é capaz de indicar os desajustes, por exemplo, de preços em supermercados mais do que a mulher. Ninguém é capaz melhor de identificar eventuais flutuações econômicas do que a mulher, pelo orçamento doméstico maior ou menor”

“Tudo isso significa empregos e significa também que a mulher, além de cuidar dos afazeres domésticos, vai ver um campo cada mais largo para o emprego”

“Porque hoje homens e mulheres são igualmente empregados. Com algumas restrições ainda. Mas a gente vê em muitas reportagens, das mais variadas, como a mulher hoje ocupa um espaço executivo de grande relevância.”

Para acompanhar nossas publicações, curta a página do Pandora Livre no Facebook.

monica-nobrega

Concurseira frustrada que ainda espera um dia largar tudo e revolucionar a música.

Destaque, Politicário

, , ,

Deixe um Comentário

Todos os comentários são de responsabilidade exclusiva dos/as leitores/as. Serão deletadas ofensas pessoais, preconceituosas ou que incitem o ódio e a violência.

Comente usando o Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *